Democratas Florianópolis avança para a coleta porta a porta - Democratas

Florianópolis avança para a coleta porta a porta

08 junho 2021

Compartilhe

A Secretaria Municipal do Meio Ambiente está pronta para fazer Florianópolis correr em direção às metas lixo zero. Em 2030, a cidade deverá recuperar 90% dos orgânicos e 60% dos recicláveis secos que hoje ainda vão para o aterro sanitário. Para acelerar o passo, na Semana do Meio Ambiente será implantada a nova coleta seletiva flex, adaptada para chegar mais perto e mais vezes até o usuário, atendendo 50 mil pessoas com coleta monomaterial de vidro e orgânico.

A partir de hoje (8), o serviço de porta em porta em 103 condomínios residenciais do Itacorubi passa a incluir a coleta exclusiva de vidro e orgânicos. A estimativa é atender cerca de 7 mil unidades e 20 mil usuários imediatamente com a coleta porta a porta em quatro frações: recicláveis, só vidro, orgânicos compostáveis e rejeito.

Nessa primeira fase, quando atingir os nove bairros, o potencial de coleta será de 40 toneladas de vidro e 250 toneladas de orgânicos por mês. A meta, então, será aumentar a reciclagem de vidro em 40% e dobrar a reciclagem de orgânicos.

Avanço ambiental

Na Semana do Meio Ambiente de 2019, o prefeito Gean Loureiro (DEM-SC), lançou a seletiva de verdes, inovação no Brasil. Este ano, depois de ter investido R$ 10 milhões em coleta seletiva e, mesmo superando os impactos da pandemia, a Prefeitura de Florianópolis se torna a primeira capital a ter sistema público de coleta de orgânicos de porta em porta para compostagem e coleta monomaterial de vidro.

Agora, o programa depende de adesão dos usuários e condomínios. O usuário que separa o resíduo em quatro frações – reciclável, só vidro, orgânico e rejeito – ajuda Florianópolis a reduzir custos públicos e a melhorar a pegada ambiental.

No Monte Verde, por exemplo, 292 famílias já participam da coleta seletiva de orgânicos por meio de pontos de entrega voluntária. Também há o projeto Minhoca na Cabeça, com 1,1 mil kits distribuídos, e muitas iniciativas comunitárias e institucionais com pátios de compostagem e hortas urbanas.

Investimento em seletiva

Dos R$ 10 milhões investidos pela Prefeitura de Florianópolis em coleta seletiva, R$ 1,3 milhão foi aplicado na compra dos quatro caminhões satélites. Esses veículos foram os primeiros feitos no Brasil com elevador acoplado e vão operar a coleta monomaterial de vidro e orgânico.

Até hoje, sem esse equipamento, a coleta seletiva de vidro e de orgânicos tinha de ser feita por entrega voluntária, quando o usuário leva o resíduo aos PEVs e Ecopontos. Agora será feita de porta em porta.

Com a nova frota, será possível dar escala ao recolhimento domiciliar desses que são os materiais mais pesados da seletiva. O orgânico também é o mais perecível, e o vidro o que oferece maiores riscos de segurança aos garis e triadores.

 

| Com informações da Prefeitura de Florianópolis

Segue a gente pra ficar dentro de tudo que importa em política

Voltar

Receba nossas novidades por email